Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Assista o debate do Pr.Silas Malafaia no Programa do Ratinho no SBT

Silas Malafaia e a Ex Deputada Iara Bernardi participaram de debate sobre a PL 122 que trata sobre o homossexualismo, no Programa do Ratinho.
No debate o Pr.Silas Malafaia explicou as razões da igreja evangélica se posicionar contra este projeto de lei que além de ferir a Constituição Federal, traz sérios prejuízos à célula mater da sociedade, a família, bem como às convicções religiosas.
A Ex Deputado Iara Bernadi insistiu na posição em que esta lei é somente de direitos civis, embora comparasse o homossexualismo com  racismo várias vezes, o Pr. Silas Malafaia deixou bem claro que ninguém nasce homossexual porém ao contrário, por exemplo uma pessoa de cor que não escolhe nascer daquela cor, portanto falar que homossexualismo é parecido com o racismo não tem concordância, pois se trata de uma atitude, uma decisão, um comportamento. Assista mais detalhes do debate:







Fonte: Gospeljovens

O Que você achou do Debate ? Envie seus comentários.

Benny Hinn emite comunicado sobre sua separação.

Um ministério consolidado e que atraiu multidões não foi suficiente para salvar o casamento do reverendo Benny Hinn. No dia 1º de fevereiro a esposa do líder, Suzanne Hinn, deu entrada ao pedido de divórcio alegando incompatibilidade de gênios. A noticia foi confirmada pelo ministério do americano na última semana.
Apesar de o casal ter se separado em 26 de janeiro, de acordo com documentos judiciais, a organização divulgou um comunicado expressando que Benny Hinn está chocado frente aos acontecimentos. Pastor Benny Hinn e seus familiares imediatos ficaram chocados e entristecidos em saber desta notícia, sem qualquer aviso prévio, disse Don Price, conselheiro sênior de longa data do Ministério Benny Hinn.
Segundo comunicado, divulgado através do site Christian Post, Hinn tem se esforçado em trazer a cura para seu relacionamento.
Atualmente o reverendo está sendo investigado pelo Senado por seus bens luxuosos que incluem jatinhos e mansões.

Fonte Galileo

Capa para automóvel Anti-furto

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Exercício com bolas

Não dê a um homem mais bolas do que ele pode carregar...

"Estacionando" o Navio.

A pergunta que não quer calar era capitão homem ou mulher?

Schumacher nega autógrafo a criança

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Verdade ou mito? O Projeto de Lei 5476/2001 existe e propõe o cancelamento da assinatura do telefone fixo

de setembro de 2009, achamos mais conveniente promover essa história para a categoria de pulhas virtuais. Isso por várias razões. Entre elas destacamos
1. é improvável que os garbosos deputados e senadores venham a encaminhar alguma proposição que contrarie os interesses de grandes corporações como as empresas de telefonia;
2. o serviço de atendimento do telefone de número 0800-619619 existe, quer dizer, algumas pessoas são contratadas pela câmara para atender o telefone e, a partir daí, nada acontece. Nada acontece a não ser assegurar o emprego de quem não faz nada a não ser atender telefone para anotar coisas que não servem para nada nem produzem nenhum efeito.


A mensagem solicita que as pessoas liguem para o telefone da Câmara dos Deputados (0800-619619) e deixem registrada a sua opinião a respeito do Projeto de Lei 5476/2001.
Quem ligar para o número 0800-619619 e aguardar o/a atendente pode dizer a ele/a o que pensa sobre esse Projeto de Lei: se é contra ou a favor. O atendente solicita apenas o nome da pessoa e o nome da cidade onde reside.
O Projeto de Lei 5476/2001 foi apresentado pelo deputado Marcelo Teixeira (PMDB /CE) e, na página da Câmara dos Deputados, pode-se acompanhar a sua tramitação.

Projeto de Lei 5476/2001.

Ementa: Modifica a Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, determinando que a estrutura tarifária dos serviços de telefonia fixa comutada, prestados em regime público, seja formada apenas pela remuneração das ligações efetuadas.
Art. 1° Esta lei modifica a Lei n° 9.472, de 16 de julho de 1997, que "Dispõe sobre a organização dos serviços de telecomunicações, a criação e funcionamento de um órgão regulador e outros aspectos institucionais, nos termos da Emenda Constitucional nº 8, de 1995", determinando que a  estrutura tarifária dos serviços de telefonia fixa comutada, prestados em regime público, seja formada apenas pela remuneração das ligações efetuadas.
Art. 2° O art. 103 da Lei 9472, de 16 de julho de 1997, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo:
Art. 103.........
.....
§3°-A  Nas ligações telefônicas realizadas por meio de serviço de telefonia fixa comutada, prestado em regime público, o assinante pagará apenas os pulsos e minutos efetivamente utilizados.
Em fevereiro de 2005, havia o seguinte registro sobre o andamento do PL 5.476/2001:

1/12/2004
Comissão de Defesa do Consumidor (CDC)
Aprovado requerimento do Sr. Celso Russomanno que solicita realização de Audiência Pública conjunta com a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, para instruir o PL 5.476/2001, extinção da tarifa básica de telefone fixo, e seus apensados.

Em 31 de janeiro de 2007, o PL 5.476/2001 foi arquivado nos termos do Artigo 105 do Regimento Interno [da Câmara dos Deputados]. Entre fevereiro e março de 2007 houve oito pedidos de desarquivamento, dois deles do mesmo deputado Carimbão.
E assim tem sido a atribulada vida do PL 5.476/2001. Há seis anos, ele vive de apensação em apensação, arquivamentos, desarquivamentos, requerimentos, pareceres, outrossim e por conseqüência...
Não há dúvidas de que há muitos interesses que seriam prejudicados em consequência da aprovação do projeto.
A mensagem voltou a circular em setembro de 2008 e a atual situação do PL 5.476/2001 é a seguinte:

20/8/2008 PLENÁRIO (PLEN)
Apresentação do Requerimento n 3107\2008, pelo Deputado Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), que Requer a inclusão na Ordem do Dia, do Projeto de Lei nº 5476/2001, que "Modifica a Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, determinando que a estrutura tarifária dos serviços de telefonia fixa comutada, prestados em regime público, seja formada apenas pela remuneração das ligações efetuadas".

O tema despertou o interesse de blogs, internautas e até de times de futebol. O São Paulo Futebol Clube diz em sua página: SPNet apóia protesto contra mensalidade de telefone fixo. Bola dentro :)
Telefone, mas também é bom enviar mensagem para o deputado em quem você votou nas últimas eleições. Veja se recebe resposta dele e qual a atenção que ele dá aos eleitores. Nas próximas eleições, antes de votar, veja qual a atenção que ele deu à sua mensagem e se ele continua a merecer o seu voto.
Veja na página da Câmara dos Deputados os nomes o e-mail dos seus representantes e as proposições de cada um deles, a presença em plenário e os discursos (muita baboseira :(
Cláudio, um dos nossos colaboradores, faz comentários bem pertinentes em sua mensagem e levanta alguns aspectos a serem levados em conta.
Uma das frases da mensagem diz Acabo de ligar e votar.....FUNCIONA!!!. Não fica muito claro o que funciona: se o pedido ou telefone.
A mensagem acrescenta: Quanto mais gente ligar, mais fácil do projeto ir à votação, portanto, divulgue. O projeto encontra-se em tramitação desde a sua apresentação no ano de 2001. Faça as contas e descubra há quantos anos o projeto tramita.
Desde 2001 que o projeto passeia entre gavetas, comissões e arquivos enquanto milhares de pessoas passam a mensagem adiante e telefonam para o 0800 da Câmara dos Deputados. Nada acontece.
Talvez seja a hora de atribuir nova classificação à mensagem e fazer com que ela saia da categoria verdade para a categoria pulha virtual. Encomendada pela Câmara dos Deputados para iludir os internautas incautos.
Sobre a ilegalidade da cobrança da assinatura básica veja o voto do ministro CARLOS BRITTO no RECURSO EXTRAORDINÁRIO 567.454 -1 BAHIA (17 de junho de 2009):

15. Com essas breves considerações, conheço em parte do recurso extraordinário e, na parte conhecida, nego-lhe provimento. Ao fazê-lo, deixo assentada a competência da Justiça estadual, admito o processamento da causa no respectivo Juizado Especial e consigno a natureza infraconstitucional dos temas alusivos à relação de consumo e às cláusulas do contrato de concessão (mantendo, assim, a decisão recorrida, que deu pela ilegalidade da cobrança da assinatura básica).

16. É como voto.


Mas não se anime. Veja:
Decisão sobre o fim da assinatura básica de telefonia fixa ficará com Juizados Especiais.
Ao não julgar, STF legalizou assinatura básica (20 de junho de 2009).
Conclusão: a cobrança da assinatura básica é legal, o que não significa que alguma lei não possa mudar o modo de cobrança. A Câmara dos Deputados e o Senado Federal vão fazer alguma mudança? Pergunte ao deputado e ao senador em quem você votou. Eles saberão dar a resposta adequada.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Carta recebida do Pastor Abazie da IAP na Nigéria.

Estou muito feliz com o recebimento desta carta que transmite a nossa necessidade de orar pelos países mais pobres. Sempre posto aqui vídeos engraçados, mas desta vez abro espaço para esta preciosa carta. Minha intenção é continuar o contato para que apesar da distância, estejamos sempre perto até que chegue aquele grande dia onde estaremos juntos em um só lugar.
Related Posts with Thumbnails